Sexta-feira, 13 de Abril de 2007

Pentatlo Moderno com vedetas no Colégio Militar

Pentatlo Moderno para ‘não-atletas’ da modalidade é a iniciativa da Associação Portuguesa de Árbitros e Juízes de Pentatlo Moderno (APAJPM), que terá lugar no dia 15 de Abril no Colégio Militar, em Lisboa.

Com início pelas 10h, este evento contará com a participação de algumas figuras públicas e atletas de alta competição de diversas modalidades. O actor Luís Esparteiro e Zé Moutinho, ambos ex-atletas da modalidade aquando alunos do Colégio Militar, a mulher deste último Elsa Gervásio, o fadista António Pinto Basto, ou o grande atleta Olímpico de Ginástica Nuno Merino, a atleta de KickBoxing Dina Pedro e os atletas paralímpicos David Grachat e Gabriel Potra marcarão presença integrando equipas.

Esta iniciativa visa divulgar a modalidade e reaproximar aqueles que já fizeram parte dela. Pretende ainda mostrar que o Desporto pode ser praticado em qualquer idade, por homens e mulheres, no interior ou ao ar livre, individualmente ou em equipa, mas que, acima de tudo, pode ser divertido!

Mecânica da prova

A prova será disputada por equipas de cinco elementos em que um praticará a prova de tiro (10 tiros a 10m de distância), outro a de esgrima (cada assalto terá a duração de 1 minuto, a não ser que um dos jogadores dê um toque no adversário antes do tempo acabar), o terceiro natação (50m estilo livre), um outro hipismo (4 saltos, o maior com a altura de 70cm e dois exercícios: uma serpentina e uma passagem por entre duas varas), e o quinto elemento juntar-se-á aos restantes para a prova de corrida, que decorrerá no sistema de estafetas.

Esta última terá como objectivo fomentar o espírito de equipa entre todos os elementos da seguinte forma: o atleta do tiro irá correr 250m e entregará o "testemunho" ao atleta da esgrima (250m), que por sua vez o levará até ao atleta da natação (250m) que o irá entregar ao atleta que praticou hipismo (250m). Este último irá levá-lo até ao atleta da corrida que, sendo o elemento da equipa destacado para esta modalidade, irá correr o dobro da distância que correu o atleta anterior (500m).

Visto a equipa vencedora ser aquela que irá somar maior número de pontos no final de todas as modalidades, a prova de corrida em estafetas irá reforçar a ideia e o espírito de equipa, procurando também reproduzir o acender da chama Olímpica que antecede os Jogos.

Sobre a Associação Portuguesa de Árbitros e Juizes de Pentatlo Moderno

A Associação Portuguesa de Árbitros e Juízes de Pentatlo Moderno vem tentar preencher uma lacuna existente no Pentatlo Moderno português no que diz respeito à arbitragem.

Os órgãos sociais da Associação (Direcção, Assembleia Geral e Conselho ) são constituídos por 11 pessoas. Conta ainda com um Conselho Consultivo constituído por 5 elementos e com 25 sócios no activo.

Dos onze elementos constituintes todos praticaram Pentatlo como atletas. Esta é uma característica da modalidade: quem deixa de praticar, ensinar ou mesmo arbitrar não se afasta da modalidade, pelo contrário, procura sempre prestar o seu contributo em prol do desenvolvimento da mesma, na área que puder ou conseguir.

A Associação tem como objectivo/missão dignificar a nobre modalidade que é o Pentatlo Moderno, e em particular a arbitragem das provas não só Nacionais, como Internacionais. Julgamos que a nossa área é essencial para o desenvolvimento da modalidade pois, só com árbitros devidamente credenciados, nesta ou noutra modalidade, se podem ter eventos e competições com o nível desejado e que possibilite aos nossos atletas terem competições nacionais ao melhor nível.

É, portanto, do interesse da Associação, procurar melhorar a arbitragem, organizando formações e reciclagens que nos possibilitem chegar e alcançar o nível dos melhores.

O trabalho é feito em parceria com a Federação Portuguesa de Pentatlo Moderno, entidade responsável por este trabalho até à data de 24 de Agosto de 2006, altura da formação da nossa Associação.

Sobre o Pentatlo Moderno

O Pentatlo Moderno tem uma forte componente de formação humana, sendo este um dos grandes desejos do seu criador, Pierre de Coubertin.

É de facto um desporto muito completo, no aspecto físico – a corrida e a natação são as disciplinas básicas; no aspecto psíquico –o tiro assenta no controle do stress e da pressão e exige uma técnica muito precisa; no aspecto intelectual – a esgrima requer adaptabilidade e inteligência, e na equitação, pelo facto de montarmos um cavalo desconhecido, exige-se um misto de adaptabilidade, auto controle e coragem.

Nos dias de hoje continua a ser assim, com as cinco provas a serem disputadas no mesmo dia, ao contrário do que acontecia no início, em que cada prova era disputada num dia só.

Infelizmente a realidade portuguesa não é a mesma de países como a Hungria, Polónia, Itália, Rússia, ou até mesmo os Estados Unidos, pois em Portugal dificilmente existem condições tanto a nível de infra-estruturas como a nível financeiro que nos permitam ter o nível que desejamos quer como atletas, árbitros, dirigentes ou treinadores.

Fonte:Federação Portuguesa de Desporto para Deficientes

publicado por vitorinonuno1 às 08:39
link do post | comentar | favorito

.CONTACTOS PARA DIVULGAÇÂO DO MOVIMENTO PARALIMPICO:

MARIA LANITA 932379956 ------------------------- E-MAIL: marketing@fpdd.org

.pesquisar

 

.posts recentes

. Encerramento do BLOG

. 3º CAMPO DE TREINO ANDDEM...

. Atletas melhoram mínimos ...

. CAMPEONATO NACIONAL DE IN...

. Resultados do Campeonato ...

. CAMPEONATO NACIONAL DE IN...

. ...

. CAMPEONATO NACIONAL DE IN...

. DSE Open Championships - ...

. Resultados do OPEN'07

.arquivos

.links

blogs SAPO